Bélgica – Antuérpia

Antuérpia – Zoológico

 

Aqui na Holanda, não sei dizer se é assim em toda a Europa, as escolas tem, durante ano letivo, semanas de “descanso” no decorrer dos semestres, chegando a ser de duas semanas dependendo da escola. Agradeço que na escola dos meninos eles aderiram a apenas uma semana em casa um destes períodos.

Mas, o lado bom destes recessos é que conseguimos fazer viagens fora de época para lugares nos arredores, nada passando de três horas de trem, algo ali pela fronteira com a Bélgica e a Alemanha. Podendo até considerar a fronteira norte da França, já que entre ela e a Holanda tem a pequena Bélgica, cuja distancia entre a Antuérpia ao norte de Bélgica e a cidade de Lile ao norte da França é equivalente a um pouco mais de uma hora, indo de carro.

Bem, no intervalo escolar de outubro, chamado de Winter Holidays resolvemos dar um pulo na Antuérpia, motivados por amigos que lá estiveram e nos recomendaram. Realmente uma cidade bem bacana. Mas é necessário planejar bem quais serão os dias da semana passados na cidade que por ser pequena, por exemplo, se estiver na cidade numa segunda feira não conseguirá visitar nenhum museu, todos fechados. E se não souber pode perder os dias dos mercados de pulga, outra boa atração.

A cidade, maior da região dos Flanders e da Bélgica, com uma população chegando a 600.000, é conhecida como sendo o centro mundial de lapidação de diamantes, nesta terra são negociados oitenta por cento dos diamantes brutos e cinquenta por cento dos lapidados no mundo. Nela se encontra também um dos maiores e mais importantes portos do mundo, localizado as margens do rio Escalda. E como quase todas as cidades da Europa, foi invadida, explorada e saqueada por portugueses, por italianos, por franceses e espanhóis. E com isso recebeu influências religiosas, sociais e culturais de todos os lados. Nela nasceu o famoso pintor flamengo Anthony Van Dyck, entre outros.

 

Antuérpia – Estação central de trem

Passamos três dias na cidade então montei um roteiro para estes dias incluindo passeios que as crianças curtem.

O zoológico merece muito respeito, apesar de não ser muito grande, ele é muito bem cuidado e é muito interessante de circular por ele, com caminhos sinuosos que sobem e descem dando praticamente um visão completa de todos os animais. Por causa dos meninos costumamos conhecer todos os zoológicos dos lugares onde passamos. Este é um dos mais bonitos.

Diamond Quarter e onde se concentram a maioria das lojas e fábricas de diamantes. O sucesso do comércio de diamantes se deu porque no século XV quando o belga Lodewyk Van Berken inventou uma ferramenta de polimento de diamantes chamada scaif que permitia sua lapidação multifacetada e o mundo inteiro se curvou. Para ver alguns dos famosos diamantes da cidade vá ao Museum Aan de Stroom (MAS) e procure por um anexo onde há uma homenagem as tais pedras preciosas.

A estação de trem vale uma visita e sua longa apreciação. Ela foi muito castigada pelos bombardeiros da segunda guerra e teve que passar por uma boa restauração e atualmente é considerada a mais bela da Bélgica e já foi eleita a mais bonita do mundo. Realmente, de tirar o fôlego.

 

 

Antuérpia – Grote Markt e a Estátua de Brabo

 

A Meirstraat é a principal rua do centro e onde está concentrado o comércio. A cidade é muito fácil de se locomover, seja caminhando ou de bicicleta. O transporte público requer um pouco de atenção, porque aqui o tram (o bonde, que na Holanda anda sempre na superfície) também tem acesso aos trilhos do metro. Coisa louca e maravilhosa. No geral é muito fácil chegar nos lugares. Então siga para a Oude Koornmarkt (Velho mercado de milho) que é uma ruazinha supercharmosa e cheia de restaurantes, além das lojas de antiguidade e uma bela galeria de artes e é a partir dela que um pequeno beco chamado Vlaeykensgang ainda na configuração original de 1591.

A Groenplaats é a maior praça da cidade cercada por comércio, restaurantes de cafés.

 

Antuérpia – Igreja de São Paulo

 

A Catedral de Nossa Senhora da Antuérpia é de fundação católica em estilo gótico, nela estão contidos uma série de obras importantes do pintos barroco belga Peter Paul Rubens (nascido também na cidade) e também pinturas de artistas como Otto Van Veen, Jacob de Backer e Marten de Vos. Os campanários são considerados Patrimônio Mundial da UNESCO. A Igreja de Santo Carolus Borromeus de 1625, a primeira do mundo dedicada ao fundador dos jesuitas, Inácio de Loyola. E por fim, a mais bela igreja da cidade, a Igreja de São Paulo. Sua fachada é uma mistura bem organizada do gótico com o barroco enquanto o interior é um barroco riquissimo. A igreja é uma homenagem a São Paulo padroeiro dos dominicanos seus idealizadores e construtores. Preciso ser redundante e repetir que em seu interior encontramos obras de grandes artistas locais como Peter Paul Rubens, Anthony van Dyck, Jacob Jordaens, Cornelis de Vos, Gaspar de Crayer, Frans Francken II, Abraham van Diepenbeeck, Theodoor Boeyermans, Artus de Bruyn, Arnout Vinckenborch e Matthys Voet.

O Grote Markt é a praça onde fica a prefeitura e a estátua de Brabo (Que tem relação com o folclore que deu origem ao nome da cidade) ao seu redor mais uma porção de restaurantes. Passamos por ela várias vezes em nossas estadia por estar entre nossos caminhos cruzados. Não chegamos a fazer um passeio a De Ruien, os subsolos da cidade, que partem desta praça.

Ela também é também cheia de mercados de pulga. Agora volto ao começo do texto onde ressalto que é preciso planejar bem as estadias, para não poder ir em pelo menos uma destas feiras de antiguidades. Tem o Vreemdelingenmarkt (sábados, 8h as 16h), o Vrijdagmarkt (sextas 09h ao 12h) ainda o Criee e o Rubensmarkt.

Fomos a alguns restaurantes mas o que mais nos chamou a atenção foi o Frites Atelier, batata frita ‘gourmetizada’, experimente com principalmente o molho de carne.

 

Antuérpia – Túnel Sint Ann

 

Outro passeio legal e atravessar o rio pelo túnel Sint-Ann. O passeio começa a ficar legal ja no começo que para chegar nele, não vá de elevador, aventure-se pelas escadas rolante bem antigas, ainda de madeira. A travessia é longa e enquanto isso um bom momento para refletir sobre a cidade e se estiver com crianças prepare-se para responder perguntas como  “Por que construíram um túnel e não uma ponte?”.

 

Antuérpia – Frites Atelier

 

E para os amantes da moda, pensei até em voltar lá só para fazer um roteiro de MODA, pois a Antuérpia, nada mais é do que o berço da moda belga, que tem conterrâneos como Ann Demeulemeester, Dries Van Noten, Dirk Van Saene, Walter Van Beirendonck, Marina Yee, Dirk Bikkembergs e Martin Margiela (Conhecido por fazerem parte do grupo de seis, o “The Antwerp Six”) . Foram necessários 50 anos para constituir o departamento de Moda na famosa Académie royale des Beaux-Arts. Vale então, antes de passear pelas lojas dos famosos e outros “nem tanto mas tão bom quanto” ir conhecer o fundamento da moda belga no MoMu, Museu da Moda de Antuérpia.

Bem, quem pensou que a Antuérpia era apenas um lugar para ver diamantes agora sabe que a cidade transcende sua história.

Enjoy it

Agatha