Sicília – A histórica Ortigia

 

Ortigia (Ortygia) é simplesmente um charme, sua beleza barroca a faz um daqueles lugares singulares que ficam na memória. É uma pequena ilha e o centro histórico de Siracusa, ligada a cidade por três pontes (bem curtinhas).

Na entrada da ilhota, logo de cara, as ruínas de Apolo (Século VI a.c.), não espere uma suntuosidade, são alguns poucos metros quadrados, isolados e alguns poucos pedaços do que restou dele, mas o interessante mesmo é saber que ele passou por muitos transformações no decorres de seu tempo, foi uma igreja no período bizantino, depois uma mesquita, voltando a ser uma igreja no período normando e por fim, durante a invasão espanhola virou um quartel. Só durante o século 19 que descobriam que por debaixo de toda esta transformação, a base original era de um templo grego. E é assim, toda a Sicilia, toda remendada por estas invasões e transformações. Até no idioma local, muitas palavras, muitos nomes de lugares, usados tem várias origens. Heranças destes povos todos que estiveram por aqui. Incrível não?

Bem, a cidade de Siracusa foi fundada pelos Coríntios, por volta de 734 a.c, devido a uma fonte de água fresca e a bela baía formada pela costa. A Ilha inteira é cheia de histórias mitológicas, precisaria de muitos posts para conseguir contar todas as lendas.

É nesta parte da cidade que encontramos boa parte dos hotéis, dos restaurantes, bares, todos os tipos de lojas e as pessoas. O que percebi, que diferente da maior parte das cidades mais conhecidas da Itália. Depois de conhecer Ortigia, nos mudamos para cá, sendo esta nossa segunda hospedagem.

A Piazza Duomo é um outro lugar mágico na cidade, toda em estilo barroco, é simplesmente um arraso. Gostei muito de passar por ela todos os dias principalmente quando o sol estava mais brando. No final de semana ela ferve de atrações, os restaurantes, as confeitarias, os cafés, praticamente lotam. Em uma das noites nos sentamos na escadaria do Duomo com nossos canólis (apaixonada por eles) em mãos e ali ficamos enquanto uma banda de músicos locais tocavam. Então separe um tempo para se conectar com a cidade nesta praça degustando uma granita (eu achei sem graça, mas os meninos adoraram e parece que é algo que todos gostam), uma taça de prosecco ou simplesmente um expresso.

Eu acredito que uma viagem, para valer a pena e realmente ser inesquecível tem que ter ser tranquila (ter espaço para parar numa escadaria e ficar ali por algumas horas olhando o movimento, sempre faço isso, me dá a sensação de fazer parte daquilo tudo de verdade, me conectar), tem que ter alguém (detesto não ter com quem dividir a experiência vivida)com tempoVale pegar uma granita, uma taça de prosecco ou um

Umas das atrações mais bonitas que achei, foi a Fonte Aretusa e o seu redor. Sério, é de cair o queixo. Como todos os lugares na Sicília, aqui não seria diferente … tem uma lenda acerca da fonte. O Deus Alfeu se apaixonou pela ninfa Aretusa depois de tê-la visto nua tomando banho, porém a ninfa conseguiu fugir de Alfeu e se refugiou na Sicilia onde foi transformada em uma fonte pela Deusa Ártemis. Zeus com pena de Alfeu, o transformou em rio para que pudesse chegar a Siracusa e então unir-se à sua amada. Atualmente, na fonte, crescem plantas de papiro. Muito curioso.

O por do sol de Ortigia é simplesmente um dos mais belos que ja tive a oportunidade de ver, e vi muitos, praticamente todos os dias em que estive na cidade dava um jeito de me encostar num canto e esperá-lo. De preferência acompanhada da família, dos amigos e do vinho da casa.

Não deixem de fazer um passeio de barco pela encosta da Ilha e dar um mergulho perto de uma das reservas. Um belo passeio. Ah sim, negociem o preço com os barqueiros, super normal e aceitável. Eles, ao contrário do que me foi dito, são muito gente boa. Nós, por causa das crianças, preferimos um barco que tivesse cobertura, que tivesse um serviço extra de água e bebidas e que pudéssemos ir em poucas pessoas, não curto muito lotação . Geralmente a gasolina é cobrada a parte, fora do preço informado, certifique-se disso na hora da negociação para não ter surpresas.

 

 

A maioria das praias nesta região são de chão de pedras (cascalhos), algumas poucas de areia, e as melhores partes destas de areia, os filés, são privados, organizadas (demais) em chamados lidos. Nós fomos a duas praias: Aranella, perfeito para crianças, nos foi indicada por um local, ficamos em um dos lidos, o que não é mal para quem está turistando com crianças, pois estes tipos de estabelecimento oferecem uma gama de serviços e facilidades (Cadeiras, guarda-sóis, restaurantes, serviço de bar e banheiros completos). E a outra Fontane Bianche, chamada assim por causa das inúmeras fontes de água doce que fluem das falésias próximas à praia. Porém, que seja apenas para curtir a praia, este esquema de lidos tira um pouco o que poderia ser muito bonito, ainda mais para nós brasileiros que estamos acostumados a praia belíssimas ainda em estado natural. Fora a cor da água, não achei que esta parte da Sicilia tenha isso a contar a seu favor. Mas, para os italianos, adoradores do sol, estas praias caem muito bem. No final, apesar de ter ido conhecer estas praias, ficamos muito bem na prainha de pedras em Siracusa (cheia de piscinas naturais) atrás da hospedagem de nossos amigos com acesso exclusivo.

Enquanto o mundo todo vai para a Itália, o italiano foge para a Sicília.

 

 

Enjoy it

Agatha

Uma opinião sobre “Sicília – A histórica Ortigia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *